A Saúde em Bauru está doente?






Prezados bauruenses, inicio esta carta colocando aqui na íntegra um excerto da reportagem PS Bela Vista fecha outra vez e lota PS Central, J.C de 24 de Janeiro de 2011 de Leda Rodrigues, “Mesmo após aumento salarial e incorporação de abonos, gratificações e vantagens previstos no Plano de Cargos Carreiras e Salários (PCCS) dos servidores da Secretaria Municipal de Saúde, que entrou em vigor no final do ano passado, a Prefeitura de Bauru não está conseguindo contratar médicos para suprir o déficit na rede municipal, que é de cerca de 70 profissionais. A expectativa era que,com as novas regras, o ingresso na rede municipal se tornasse mais interessante aos médicos, mas das 20 vagas abertas no último concurso, realizado em outubro, apenas 19 médicos foram aprovados. E dos aprovados, dez não se apresentaram para tomar posse, revela o secretário de Saúde, Fernando Monti. O concurso ofereceu salário de R$ 3.360,00 mais benefícios de R$ 210,00 para jornada de 20 horas semanais. Ele explica que dos 19 aprovados no concurso, 11 deles pediram prorrogação para tomar posse cargo, possibilidade prevista no edital do concurso. Porém, o prazo da prorrogação terminou e dez dele não se apresentaram para tomar posse do cargo.”A partir  da leitura atenta deste excerto, fico a refletir, se por uma questão de salário um professor enfrentaria uma sala de aula hoje, sendo este um professor de 20 anos de carreira, recebendo como salário bruto - se o mesmo compor jornada mensal de 40 horas – o valor de R$3.512,95, porém com um desconto em folha de pagamento na faixa de R$ 750,00 (imposto de renda , Iamspe e Contribuição Previdenciária),  seu líquido sairia em torno de R$ R$ 2.700. Não há nenhum outro benefício num salário como este, pois os mesmos já estão inseridos no valor bruto do salário, que são eles: GTCN, gratificação geral – QM LC 901/2001, GAM, GRAT. GERAL – Aulas Substituição, Adicional tempo de serviço, Adicional sem carga suplementar, Adicional Local Exerc.  Não há vales refeição, e muito menos auxilio transporte. Portanto, não podemos pensar esta falta de médicos por questões salariais, se assim fosse, não teríamos nenhum professor nas salas de aulas, muito menos outros profissionais com faixa salarial menor que a do professor neste Brasil afora. Então me pergunto, por que os companheiros médicos não estão interessados neste posto de trabalho? Quais razões os levariam a não tomar posse do cargo? Esta é uma pergunta que faço, pois não deve ser por questões salariais, já que neste país há profissionais ganhando apenas 01 salário mísero de R$ 510,00 mensais.  Se no PA do Hospital de Base, o atendimento é em média de 01 hora e 30 minutos, imagino no PS Central, e ainda mais com os pacientes do PS Bela Vista, que opera com grande volume, pois atende vários bairros da região norte e noroeste. E por isso mesmo o médico não atende como se deve (eu mesma já fui a atendimentos que o médico nem faz um exame diagnóstico mais minucioso, apenas umas perguntas e já vai receitando o remédio). Portanto, caros leitores, a saúde em Bauru esta doente mesmo, e precisa de medidas governamentais, tanto municipais como estaduais, efetivas e firmes, para que o cidadão contribuinte sinta que o seu imposto está sendo bem aplicado, com atendimento profissional, humano e ético. Escrevendo estas palavras me sinto como um João pregando no deserto, porém gostaria de entender porque esta situação acontece, não só aqui, mas no Brasil, sendo que somos um dos países que mais cobra impostos no mundo e não retorna esta contribuição em atendimento digno ao cidadão. Posto aqui, imagem e vídeo com reportagem da TV Tem em Bauru, de 05/04/2010, e hoje, 17/02/2011, a situação nada mudou!
video

0 comentários: